Enquanto espero

Ultimamente tenho dedicado algumas manhãs à espera de uma ave em particular, o pisco de peito azul. Tenho tido avistamentos com alguma frequência, já conheço a conhecer alguns poleiros, sons e hábitos, e até mesmo já os tenho fotografado, contudo, não da forma que idealizei.

Não têm sido manhãs carregadas de frustração, não, pelo contrario tenho tido a sorte de presenciar momentos únicos e que só os primeiros raios de sol o permitem. Têm sido momentos como estes que me têm obrigado a ir manhã atrás de manhã em busca do tão afamado pisco de peito azul. Têm sido manhãs carregadas de humidade, algumas frias e onde quase sempre o conforto não é propriamente um dos aspetos a se ter em consideração. A falta deste ultimo é no entanto compensada pela visão de uma paleta de cores suaves em constante mutação.

Posso até não vir a conseguir fotografar os piscos de peito azul como pretendo, mas já ganhei alguma coisa, vamos ver….

Nuno CabritaComment