2-copy.jpg
 

Temos em nós um mundo submerso em informação, veloz, hiperativo, egoísta por opção e profundamente desumano. Subsistimos num meio desnecessariamente complexo. Perdemos há muito a capacidade de comunicarmos com nós próprios, de ver, de apreciar a lentidão do próprio tempo